Socorro – Estância Hidromineral

HUMBERTO ALIPERTI*

A cidade de Socorro foi colonizada desde o século XVI até o ano de 1738 por Simão De Toledo Pizza, a quem foi concedida uma sesmaria (direito a utilizar determinado pedaço de terra devolvido ou abandonado para o cultivo e progresso da agricultura). Nessa época os índios que habitavam a região foram repelidos pelos bandeirantes e afastaram-se para lugares longínquos.

Durante o século XIX a região é elevada à categoria de Freguesia e posteriormente de Vila, despertando uma disputa entre as Comarcas de Bragança e de Amparo por sua posse. Nesse mesmo século, no ano de 1829, foi erguida uma capela em homenagem à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. No dia 9 de agosto, desse mesmo ano, foi rezada a primeira missa, data esta em que a cidade comemora seu aniversário.

Ainda no final no século XIX Socorro adquire sua autonomia, quando em 17 de março de 1883 foi elevada à categoria de cidade. Já no início do século XX a região abrigou inúmeras colônias de italianos que desenvolveram a agricultura cafeeira, proporcionando o surgimento de ferrovias da Cia. Mogiana para coletar o café produzido e levar ao porto de Santos. Socorro foi palco da Revolução Constitucionalista de 1932 e teve papel estratégico por fazer divisa com o Estado de Minas Gerais.

No início do seu desenvolvimento, podemos dizer que o nosso povo teve dois caminhos em sua trajetória.

O primeiro é: Como sabem vivemos em meio às montanhas, assim como nossos antepassados. Estas belas montanhas, que nossos olhos não cansam de contemplar, foi o que pesou para que algumas regiões mais próximas da Capital do Estado tivessem seu processo de desenvolvimento mais demorado. Mas, a bela paisagem não foi o suficiente para convencer os primeiros colonizadores, entre eles os famosos bandeirantes, que optaram pelos lugares mais fáceis de construir as grandes ferrovias e rodovias, levando o processo de desenvolvimento às regiões mais longínquas de nosso Estado. E assim, mais lentamente, foram se abrindo ramais e avançando para outros municípios. Isto serviu de base para todas as demais cidades e municípios que se formaram na época, em regiões montanhosas.

Devido à qualidade das águas minerais existentes no município, Socorro entra no turismo como Estância Sanitária em 24 de abril de 1945 e em 1978 recebeu o título de Estância Hidromineral. A partir da década de 90 o turismo passou a ter um desenvolvimento significativo com o aproveitamento da natureza exuberante da região, e atualmente Socorro oferece oito tipos de turismo: Saúde, Rural, Cultural, Ecoturismo, Aventura, Negócios e Eventos, Estudos e Intercâmbio, e Social.

Socorro também se destaca no segmento de confecções, cujo início se deu na década de 60, sendo conhecida como capital paulista das malhas, e possui mais de 400 malharias e grande diversidade de coleções e estilos. Além disso, Socorro é destino referência para a prática de esportes de aventura e acessibilidade, como, por exemplo, o rafting, recebendo inúmeros investimentos do governo federal e demais órgãos públicos e privados. Hoje conta com uma grande variedade de entretenimento e lazer, boa infraestrutura, e um acolhimento especial de nossos habitantes que proporcionam uma experiência única em meio à natureza que envolve a cidade. Tudo isso faz de Socorro um dos melhores destinos entre as cidades turísticas do interior de SP, um lugar que marca a história de todos que passam por aqui.

Fonte:
Prefeitura Municipal da Estância de Socorro – www.socorro.tur.br

Como chegar:
São Paulo: 135Km
Campinas: 114Km
Rio de Janeiro: 347Km

Lazer e ecoturismo:
- Gruta do Anjo;
- Parque Monjolinho;
- Pedra da Bela Vista;
- Parque dos Sonhos;
- Horto Municipal.

* Humberto Aliperti é colunista e mantenedor do site Moto Tour Viagem; presidente do Moto Clube Esquadrão Selvagem; Conselho Diretor da Associação Comercial Distrital Mooca e Membro da Associação Paulista de Imprensa.

O projeto Moto Tour Viagem tem como objetivo atingir o maior número de leitores que gostam de viajar, conhecer novos lugares, passear e apreciar a boa gastronomia.

Galinhada Caipira

- 1 frango caipira, cortado em pedaços
- 2 tabletes de caldo de galinha
- Suco de meio limão
- 2 colheres (sopa) de azeite
- 1 cebola média ralada
- 2 xícaras (chá) de arroz lavado e escorrido
- 2 colheres (sopa) de extrato de tomate
- 1 pimentão verde cortado em cubinhos
- 1 colher (sopa) de salsa picada

Modo de preparo:
Lave os pedaços de frango, tempere-os com os tabletes de caldo de galinha e o suco de limão e deixe tomar gosto. Em uma panela grande, aqueça o azeite e doure os pedaços de frango. Adicione a cebola e deixe refogar ligeiramente. Junte o arroz, o extrato de tomate, o pimentão e 4 xícaras e 1/2 (chá) de água, mexendo bem. Tampe a panela e, assim que iniciar a fervura, baixe o fogo e cozinhe por cerca de 15 minutos, até que o arroz fique cremoso e úmido. Se necessário, pingue mais água. Retire do fogo e passe para uma travessa. Polvilhe a salsa e sirva a seguir.

SERVIÇO:
Rancho Pompeia
Caminho Turístico da Pompeia, Km 4 – Socorro
Tels.: (19) 3895-1426 /
(19) 99903-0284

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  face