Simplicidade de Francisco conquista os brasileiros

colaboração PAMELA SCHUMAHER

Exemplo de humildade, o Papa Francisco comoveu milhares de pessoas, católicas ou não, durante sua visita ao País. No dia 24, quarta-feira, o pontífice celebrou no Santuário Nacional Nossa Senhora Aparecida, no interior de São Paulo, a primeira missa pública desde que chegou ao País.

Durante o evento, 15 mil pessoas estiveram dentro da basílica enquanto uma multidão acompanhou pelos telões do lado de fora, o pontífice, com humildade, pedir o auxílio de Nossa Senhora para guiar os jovens na busca por um mundo mais fraterno.

Na homilia deixou evidente que sua gestão na Igreja Católica terá o objetivo de voltar a dar à religião uma posição de destaque na sociedade. “Hoje, mais ou menos todas as pessoas, e também os nossos jovens, experimentam o fascínio de tantos ídolos que se colocam no lugar de Deus e parecem dar esperança: o dinheiro, o poder, o sucesso, o prazer”, afirmou.

Ele encerrou a missa com uma bênção às famílias e um pedido para que os fiéis rezem por ele. Antes de deixar a Tribuna Bento XVI, prometeu voltar em 2017. Daqui a quatro anos haverá o terceiro centenário do encontro da imagem submersa da santa, recolhida por rede de pescadores, em 1717, no rio Paraíba do Sul. “Peço um favor. Com jeitinho. Rezem por mim. Eu preciso. Que Deus os abençoe. E até 2017, quando voltarei”, declarou em espanhol.

Cerca de mais de 200 mil pessoas presenciaram a cerimônia no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, estima o arcebispo dom Raymundo Damasceno. Era esperado um público semelhante ao da visita de Bento XVI, em 2007, quando quase 150 mil pessoas assistiram à missa.

As pessoas ficaram no frio, mas não desistiram. O papa soube que pessoas passaram a noite no frio para vê-lo e se emocionou com o carinho delas“, contou o arcebispo.

Quarto dia de visita ao País
No dia 25 de julho, o pontífice iniciou a manhã recebendo das mãos do prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes as chaves da cidade e ainda abençoou as bandeiras dos Jogos de 2016. Ainda na parte da manhã, ele visitou a Comunidade de Varginha no Rio de Janeiro. Na ocasião ele criticou a estratégia de pacificação das favelas. “Nenhum esforço de pacificação será duradouro, não haverá harmonia e felicidade para uma sociedade que ignora, que deixa à margem, que abandona na periferia parte de si mesma“, afirmou durante seu discurso.

À tarde, o pontífice se encontrou com cinco mil argentinos na Catedral Metropolitana. Até o fechamento desta edição, fiéis aguardavam em Copacabana para o encontro com Francisco. Essa é a primeira participação oficial dele na Jornada Mundial da Juventude. A previsão era de que ele desfilasse pela avenida Atlântica no papamóvel até o local, onde cerca de 1,5 milhão de pessoas eram esperadas.

Por onde ele ainda passará
Entre os dias 26 e 28 de julho, o papa terá uma agenda de compromissos bastante longa. Entre as principais atividades estão a confissão de quatro jovens na Quinta de Boa Vista, encontro com jovens presos no Palácio São Joaquim, via-crúcis na praia de Copacabana (ato central da JMJ), missa na Catedral São Sebastião, encontro com representantes da sociedade no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, almoço com bispos da Conferência Nacional dos Bispos no Brasil (CNBB), vigília de oração com jovens, missa em Copacabana e encontro no Riocentro.

Fonte:
Estadão, G1, O Povo e Folha de São Paulo

Confira a progamação do final de semana

* Dia 22, segunda-feira
O papa chegará ao Rio de Janeiro na parte da tarde no Aeroporto Internacional do Galeão e será recepcionado pela presidente Dilma Rousseff; pelo governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral; e pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.Ele deixará o aeroporto de papamóvel rumo ao Palácio Guanabara, onde será realizada a cerimônia de boas-vindas e o primeiro discurso. Após um breve encontro com o governador do Estado do Rio de Janeiro, o pontífice segue em direção ao Sumaré, local que será a sua residência durante sua permanência na cidade.

* Dia 23, terça-feira
A data será estritamente privativa.

* Dia 24, quarta-feira
Com destino a Aparecida, o papa deixará o Rio de Janeiro, por volta das 8h15. No local ele irá ver a imagem de Nossa Senhora, no Santuário Nacional, além de celebrar a Santa Missa. Depois de um almoço no Seminário Bom Jesus, ele retornará ao Rio. Já de volta, na parte da tarde, visitará o Hospital São Francisco de Assis, que se dedica à recuperação de dependentes de droga e de álcool.

* Dia 25, quinta-feira
Por volta das 9h, Francisco seguirá em direção ao Palácio da Cidade, onde receberá do Prefeito Paes as chaves da cidade e irá abençoar as bandeiras dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Às 10h, partirá para uma visita na Comunidade da Varginha, dentro do Complexo Manguinho. Lá conhecerá uma pequena igreja dedicada a São Jerônimo Emiliano, um campo de futebol no qual se encontrará com membros da comunidade, e a casa de uma família da região. Ao final fará um discurso. À tarde, seguirá rumo à Praia de Copacabana, onde haverá uma Festa da Acolhida aos jovens participantes da JMJ. Após um discurso, abençoará o público presente.

* Dia 26, sexta-feira
Depois de uma missa privativa na Residência do Sumaré, se deslocará para a Quinta da Boa Vista onde realizará a confissão de cinco jovens. Logo após, se dirigirá ao Palácio São Joaquim para encontro com o Arcebispo do Rio de Janeiro. Ambos caminharão ao primeiro andar para visitar a Capela e conhecer as irmãs que trabalham na casa. Para uma saudação, encontrarão 20 membros do Comitê Organizador e os dez grandes patrocinadores-benfeitores da JMJ. Ele almoçará no Salão redondo, localizado no primeiro andar, onde se encontrará com S.E. Dom Tempesta e com 12 jovens de várias nacionalidades. De volta à Praia de Copacabana, às 17h, realizará a Via Sacra com os jovens.

* Dia 27, sábado
Durante a manhã irá celebrar a Santa Missa na Catedral de Cidade, ao lado de bispos da JMJ, com sacerdotes, religiosos e seminaristas. Às 11h30, no Teatro Municipal, encontrará dirigentes do País e fará um discurso. Por volta das 18h15, o papa segue em direção ao Campus Fidei de Guaratiba, local onde acontecerá a Vigília de Oração com os jovens.

* Dia 28, domingo
O Santo Padre segue para Guaratiba. No caminho o helicóptero sobrevoará a estátua do Cristo Redentor. Com a presença da presidente, às 10h, será iniciada a Missa de Envio da JMJ Rio 2013. Às 16h, no Sumaré, o papa irá encontrar-se com o Comitê de Coordenação do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM). Após despedir-se da residência do Sumaré, o pontífice segue rumo ao Rio Centro para encontrar 15 mil jovens voluntários da JMJ e fará um discurso. Às 18h30 acontece a cerimônia de despedida no aeroporto Galeão e a finalização com um discurso da presidente. Após a despedida de Dilma nas escadas do avião, às 19h, ele segue para Roma, com chegada prevista às 11h30, em Roma, horário italiano.

Renovação para a Igreja

Confira entrevista com o teólogo Rodrigo Franklin de Sousa, que é PhD e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião – Centro de Educação Filosofia e Teologia – CEFT da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O RETRATO – Em outras religiões existem líderes de tanta expressividade?
RODRIGO FRANKLIN DE SOUZA - Embora em outras religiões existam líderes de grande expressividade, podemos dizer que nenhum pode ser comparado com o Papa em termos de influência religiosa, política e social. A influência dele é significativa não apenas por causa do tamanho do rebanho católico, mas porque ela vai além das fronteiras do catolicismo, afetando até mesmo a política internacional.

OR – Qual o objetivo da Jornada Mundial da Juventude (JMJ)?
RODRIGO - A JMJ foi criada com o propósito de agregar jovens católicos de todo o mundo e renovar neles seu engajamento com a fé e a igreja.

OR – O que o pontífice representa para esses jovens?
RODRIGO - Uma renovação, uma esperança, de que a Igreja passe a falar uma linguagem mais próxima deles e leve em conta seus anseios. Também representa uma mensagem percebida como mais relevante e envolvente.

OR – Que transformações o Papa Francisco pode trazer à Igreja?
RODRIGO - Uma maior abertura para os jovens, para a sociedade, e para o diálogo inter-religioso e ecumênico. Além disso, maior foco nos pobres e na justiça social e atitudes mais enérgicas contra a corrupção e os escândalos envolvendo o clero.

OPINIÃO

O Papa Francisco não é uma liderança para nós evangélicos, mas sabemos que é um representante de uma das maiores religiões do mundo. Sendo assim, as declarações dele são muito importantes para a formação de opinião do povo em geral.

Diante disso, apesar das divergências teológicas que temos com o catolicismo, nossa expectativa é a de que ele possa reforçar valores cristãos durante sua visita ao Brasil e usar sua influência para relembrar os brasileiros da importância da família, da caridade e do sacrifício de Jesus Cristo”.
Lucas de Oliveira e Silva – Pastor da Assembleia de Deus

 

Como messiânicos, vemos a visita do Papa ao Brasil como motivo de grande alegria, pois temos profundo respeito pela religião Católica, como as demais religiões Cristãs. Acreditamos que sua visita se reveste de grande importância para uma renovação da fé, independente dos dogmas. Para que ocorram as mudanças que tanto almejamos é preciso uma mudança espiritual nas pessoas em primeiro lugar. Se as pessoas se esforçarem para tentar seguir parte do que ele, pela influência que tem, vem orientando, muitas coisas podem melhorar em nosso País”.
Ministro Genival Ajala Vidal, responsável do Johrei Center Vila Mariana

 

 

Na doutrina espírita não existe uma estrutura hierárquica como a que foi estabelecida pelo catolicismo. Não existe um chefe religioso, nem dogmas, sacramentos, cerimônias, proibições, locais pré-determinados para receber as almas por toda a eternidade a exemplo do céu e do inferno. O espírita é um livre pensador que se norteia pelos preceitos contidos nesta ciência, filosofia e religião denominada Espiritismo, que foi codificada baseando-se nas informações trazidas pelos espíritos, e desta forma não existe um líder religioso, fisicamente falando, mas existe um líder espiritual, que é Jesus. Entretanto, a doutrina espírita orienta a todos os seus adeptos no sentido de respeitarem todas as crenças.

No caso da visita do Papa Francisco, que mobilizou toda a mídia, é muito emocionante presenciarmos a força da fé que foi demonstrada por muitos, enfrentando o frio, a chuva e as dificuldades que aconteceram. A simpatia do papa, bem como sua simplicidade, são cativantes. Ele demonstra uma linha de atuação que nos deixa muito felizes, pois demonstra que não é favorável ao fausto, ao luxo, à pompa. Não se mantém distante do povo, e nesta aproximação se assemelha a Jesus quando convivia com seus irmãos.

Nós espíritas respeitamos este homem que está cumprindo seu compromisso de fé, sem no entanto aceitar o endeusamento, nem a idolatria que, aliás, nos parece que o próprio papa também não aceita. Esta demonstração de fé é muito importante para unir a juventude, assim como são importantes todas as ações que reúnam pessoas dispostas a auxiliar os seus semelhantes. Sem dúvida, a mensagem do Papa Francisco é de uma elevação extraordinária objetivando o despertar das consciências. E para os espíritas é um momento de alegria, pois entendemos que a espiritualidade está presente junto a este divulgador do amor”.
Marlene Saes – Presidente do Centro Espírita A Caminho da Luz

Até o fechamento desta edição, membros de outras religiões foram procurados, mas não responderam às perguntas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  face