Separação do lixo: grande desafio em condomínios

As embalagens e produtos industrializados ganham cada vez mais espaço nas casas. A forma de consumo está relacionada diretamente com a alta produção de resíduos gerados para o descarte e alguns métodos de coleta vêm sendo elaborados por condomínios para que moradores possam descartar corretamente o lixo. A coleta específica para o lixo orgânico e inorgânico dos lares é um grande desafio, explica Eraldo Melo, Presidente do Grupo Conservar, terceirizadora de serviços. “Falta conscientização quando se fala em separação de lixo. Por muitas vezes esta separação é feita pelos funcionários da limpeza, eles fazem uma varredura para checar se há lixo reciclado junto com o orgânico. Em alguns ambientes é possível executar esta tarefa, mas existem vários outros que são inadequados para que o colaborador realize este serviço. O manuseio de lixos requer treinamentos específicos para que o empregador não sofra nenhuma infecção, ou ocorra algum tipo de acidente”, explica.

O Decreto Federal nº 7.404 estabelece as normas para execução da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.3045/2010). A legislação define a responsabilidade compartilhada sobre a produção e destinação de resíduos sólidos entre o poder público e a sociedade – fabricante ao consumidor, passando pelo importador, distribuidor e comerciante. Com 86 artigos, o decreto inclui a penalização a quem não separar os recicláveis para a coleta seletiva.

Os síndicos têm o trabalho de conscientizar seus condôminos sobre a importância da separação da produção de resíduos, a fim de lançar reflexões sobre o problema e ampliar discussões a cerca da gestão de todo o lixo que é produzido diariamente. “Os condomínios podem e devem se adequar, mobilizando os moradores para que separem o lixo e, dessa forma, tornar mais fácil a coleta seletiva. Uma forma é que haja um grupo responsável para vigiar moradores, que seriam os líderes do projeto. Todo condomínio deve ter um local com compartimentos específicos, com cores adequadas, para que haja organização no processo”, disse Eraldo Melo.

Se todos os morados criarem uma forma de separação, eles estarão contribuindo com o meio ambiente e com quem sobrevive de materiais reciclados.

SERVIÇO:
Conservar
www.conservarservicos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  face