O presente de Natal

O menino acordou muito contente, era véspera de Natal, além disso, uma data muito importante estava para chegar, o dia do aniversário do menino Jesus, e, é lógico, o dia em que o Papai Noel vinha visitá-lo todos os anos. Ele esperava ansiosamente o cair da noite para dormir e olhar o seu pé-de-meia que estava em frente à porta, pois não tinha árvore de natal.

Aguentou o quanto pôde e foi dormir muito tarde para ver se conseguia pegar o velhinho no flagra, mas como o sono era maior do que a sua vontade, acabou adormecendo profundamente.

Na manhã de Natal, observou que seu pé-de-meia não estava lá, e que não havia presente algum em toda a casa.

Seu pai, desempregado, com os olhos cheios d’água, observava atentamente o filho, procurando tomar coragem para falar que o seu sonho não existia, e com muita dor no coração o chamou:

– Meu filho, venha cá!

Mas, antes mesmo que o pai pudesse falar…

– Papai?

– Pois não, filho.

– O Papai Noel se esqueceu de mim…

O menino abraça seu pai e os dois choram, quando ele pergunta:

– Ele também se esqueceu do senhor, papai?

– Não, meu filho. O melhor presente que eu poderia ter ganhado na vida está em meus braços. E fique tranquilo, pois eu sei que o Papai Noel não se esqueceu de você.

– Mas, todas as crianças vizinhas estão brincando com seus presentes… Ele pulou a nossa casa.

– Não pulou, não. O seu presente está te abrando agora e vai te levar a um dos melhores passeios da sua vida!

E, assim, foram para um parque e o menino brincou com seu pai o resto do dia, voltando somente no começo da noite.

Chegando em casa, muito sonolento, foi para o seu quarto e escreveu para o Papai Noel:

“Querido Papai Noel agradeço o presente que o senhor me deu, que foi passar uma tarde maravilhosa como a de hoje com o meu pai. Desejo que todos os Natais sejam como esse. Obrigado”.

E foi dormir.

Entrando no quarto para dar boa-noite ao filho, o pai do menino viu a carta. A partir desse dia não deixou que seus problemas afetassem a felicidade dele e começou a fazer com que todo dia fosse um Natal para ambos.

POR ORLANDO NUSSI
(Esta história está publicada no volume 12 da coleção FRASES, DICAS E HISTÓRIAS MARAVILHOSAS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *