Nova fase do “Programa de Proteção ao Pedestre” acontece na Penha

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) deu início no mês de outubro à quarta fase do Programa de Proteção ao Pedestre na capital paulista (PPP), marcada por uma ênfase maior na educação de quem anda a pé. A finalidade dessa nova fase é fazer com que o cidadão exerça, de fato, sua preferência no trânsito e passe a utilizar mais o gesto de braço, sinalizando ao motorista sua intenção de atravessar. Outro objetivo é estimular o pedestre a cruzar a via somente na faixa de segurança e, quando houver semáforo específico para ele, incentivá-lo a iniciar a caminhada no tempo de verde do farol.

Ainda no intuito de trabalhar a conscientização da população transeunte, a estratégia desta etapa do PPP será centrada na atuação e reforço dos orientadores de travessia, com um diferencial: orientadores à paisana (sem uniforme) ficarão posicionados em determinadas conversões sem semáforo fazendo, várias vezes, o Gesto do Pedestre. Com isso, pretende-se contribuir para a difusão e, consequentemente, a assimilação do gesto por parte do usuário final, o próprio pedestre. Em junho deste ano, a CET fez uma enquete que demonstrou que, embora o gesto seja considerado um importante recurso para indicar a vontade de atravessar do pedestre, ele é pouco utilizado devido em grande parte à falta de hábito.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho (Semdet) concluiu recentemente a contratação de mais 500 orientadores. Esse grupo se soma aos atuais 850 que estão em serviço desde o começo da Campanha. Todos eles estarão distribuídos em oito subcentros: Pinheiros, Lapa, Santana, Largo 13 de Maio (em Santo Amaro), Vila Maria, Brás, Penha e São Miguel Paulista.

Faixas e banners
Como material de apoio à obra educativa, serão espalhadas faixas de vinil em todos os oito subcentros com os seguintes dizeres: “Motorista – Atenda ao Gesto do Pedestre – Dê a preferência na travessia” e “Vamos juntos reduzir os atropelamentos neste bairro”. Além disso, três tipos de banners complementam a comunicação, sendo erguidos pelo orientador nas principais faixas de travessia da região trabalhada. Esses banners contêm as seguintes mensagens: “Antes de atravessar, estenda a mão”, “Faça sua parte: espere o sinal verde” e “Pedestre, atravesse na faixa”.

Pesquisas
A fim de acompanhar o desempenho do Programa de Proteção ao Pedestre, a CET realiza pesquisas sistemáticas de respeito ao direito de travessia do pedestre bem como de comportamento dos usuários do sistema viário em geral. É esse trabalho analítico, feito desde antes do início efetivo do PPP, a principal fonte para o planejamento de novas ações, mais focadas nas necessidades pontuais percebidas nas ruas. Até o momento, oito ciclos de contagens e entrevistas foram concluídos, sendo o mais recente realizado no período de 6 a 21 de agosto. Quatro interseções vêm servindo de campo de coleta dos dados:

1 – Rua Haddock Lobo com Rua Luís Coelho
2 – Rua Álvaro de Carvalho com Rua João Adolfo com Rua Alfredo Gagliotti
3 – Rua Quintino Bocaiúva com Rua Riachuelo
4 – Rua D. Maria Paula com Rua Francisca Miquelina

Em suma, o levantamento detectou que o desrespeito do condutor à travessia do pedestre já caiu 17% desde o início do Programa, enquanto o acionamento da seta nos movimentos de conversão veicular cresceu 8% de fevereiro de 2011 para agosto de 2012. A contagem abrangeu uma amostra de 1.464 veículos contados.

No tocante à percepção dos motoristas sobre o respeito à prioridade de travessia do pedestre, verifica-se que, desde o início do Programa, 14,3% a mais dos condutores julgam respeitar sempre ou frequentemente a travessia de quem está a pé. Nas entrevistas feitas entre 6 e 21 de agosto, de um universo de 429 motoristas ouvidos, 391 (ou 91,1%) afirmaram dar preferência de passagem ao pedestre que atravessa na faixa.

Já na perspectiva contrária, isto é, de o pedestre se sentindo ou não respeitado por quem anda motorizado, o resultado revela que, em comparação ao início do Programa, houve aumento de 9,3 pontos percentuais entre os pedestres que se sentem respeitados em seu direito à preferência de travessia.

Fiscalização intensiva
Em pouco mais de 13 meses de fiscalização intensiva, ou seja, de 8 de agosto de 2011 a 21 de setembro de 2012, já foram contabilizadas 285.114 autuações relativas a infrações de desrespeito à preferência do pedestre no trânsito. Os enquadramentos dispostos neste balanço são:

• 584-33: Deixar de indicar com gesto/luz indicativa a mudança de direção (seta). Multa grave, R$ 127,69 e 5 pontos na CNH.
• 605-01:
Avanço de semáforo vermelho. Multa gravíssima, R$ 191,54 e 7 pontos na CNH.
• 616-50:
Deixar de dar preferência ao pedestre em via transversal. Multa grave, R$ 127,69 e 5 pontos na CNH.
• 612-20:
Deixar de dar preferência ao pedestre na faixa a ele destinada. Multa gravíssima, R$ 191,54 e 7 pontos na CNH.
• 567-31:
Parar sobre a Faixa de Pedestre. Multa média, R$ 85,13 e 4 pontos na CNH.
• 613-00:
Deixar de dar preferência ao pedestre que não tenha concluído a travessia. Multa gravíssima, R$ 191,54 e 7 pontos na CNH.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *