Líder do Grupo A, Brasil encara o Chile nas oitavas de final da Copa

BRUNO LEITÃO

No último dia 23, a Seleção Brasileira entrou em campo diante de Camarões, equipe já eliminada antes mesmo de a bola rolar, para definir o futuro dentro da competição. Empatado em pontos com a seleção do México, o Brasil dependia apenas de si para manter a liderança da chave. E ela aconteceu. Em tarde para lá de inspirada de Neymar, a Seleção goleou Camarões por 4 a 1, com direito a gol do atacante Fred, que ainda não havia marcado no Mundial e sacramentou o duelo de oitavas de final, diante do Chile, segundo colocado do grupo B. Por 3 a 1, a seleção mexicana também triunfou no jogo contra a Croácia, mas manteve a segunda colocação e agora medirá forças com a Holanda.

Para a maioria dos brasileiros, encarar o Chile na próxima fase será moleza. A opinião é sustentada pelo histórico em Copas entre as duas seleções. Na primeira vez que se encontraram, em 1962, quando a competição acontecia justamente na casa dos adversários, a Seleção Brasileira venceu os chilenos na semifinal, por 4 a 2 e avançou para a decisão. Naquele ano, inclusive, o Brasil tornou-se bicampeão do mundo. Depois, em 1998, Ronaldo e César Sampaio marcaram duas vezes e o Brasil venceu por 4 a 1, vitória que valia vaga nas quartas de final. Em 2010, na África do Sul, também em partida válida pelas oitavas de final, 3 a 0, gols de Robinho, Juan e Luis Fabiano, ou seja, mais duas vitórias do Brasil.

Porém, mesmo com todo o retrospecto favorável ao nosso país, o Chile de 2014 pode complicar a vida dos anfitriões. A equipe comandada pelo argentino Jorge Sampaoli fez uma grande primeira fase, vencendo inclusive a Espanha, atual campeã do mundo. A única derrota aconteceu na partida contra a Holanda, primeira colocada do grupo. Vale lembrar que naquela oportunidade, o principal jogador da equipe, o meia Arturo Vidal, foi poupado do duelo pensando justamente no confronto de oitavas de final. Brasil e Chile se enfrentam no sábado, dia 28, às 13h, no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

Dúvida para Felipão
No duelo diante de Camarões, o volante Paulinho voltou a apresentar um futebol bem abaixo do esperado e preocupou a comissão técnica, além dos milhões de torcedores que já apontavam o jogador como um dos pontos fracos do time desde o começo do torneio. Felipão, sempre confiante no futebol de Paulinho, não suportou o desempenho do atleta, e na volta do intervalo Fernandinho assumiu a posição. Talvez a melhor decisão do comandante brasileiro até o momento. Em 45 minutos, o volante do Manchester City participou do terceiro gol brasileiro no jogo e, de ‘bico’, ainda anotou o último tento. Durante a semana, Luiz Felipe Scolari acenou com a possibilidade de Fernandinho ganhar a posição contra o Chile, porém, as crises de teimosia do treinador podem falar mais alto e ele persistir em Paulinho. Uma coisa é certa, em 45 minutos, Fernandinho fez mais que Paulinho em duas partidas e meia. Resta aguardarmos a bola rolar no Mineirão para saber a decisão do treinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  face