Leitor – Edição 369

Edição 365 – Seção Livro

Muito obrigado pela divulgação do livro Diário de um Diretor de Escola. Um forte abraço para toda a equipe.
Luiz Benedito Ponzeto – autor da publicação – pelo site

Edição 367 – Seção Bairro

Achei interessante a entrevista realizada pela jornalista Pamela Schumaher, para o jornal O Retrato, sobre os carros parados no pátio da Subprefeitura e concordo com o que foi abordado. Fiquei um pouco intrigado só com a maneira de como são realizados tais serviços. Tentando desfazer minha curiosidade, por que tanta burocracia, haja vista, as respostas dadas pela assessoria de comunicação da Subprefeitura Mooca que mostram que nem eles mesmos sabem como calcular os gastos destes serviços.

Não seria mais fácil, ao invés de telegrama, já que tem o endereço da pessoa, ficar indo e vindo, e não resolver na hora? Diário Oficial, quem lê? Fixar adesivo? Multas de R$15 mil, às vezes o carro abandonado nem vale isso! Com menos burocracia, talvez o pátio não ficasse lotado.
Paulo César – por e-mail

Resposta da Assessoria de Comunicação da Subprefeitura Mooca

Caro leitor, Obrigada pelas questões que você levanta, elas nos dão a possibilidade de esclarecer pontos importantes da normatização da Cidade.

As Subprefeituras são órgãos do Poder Executivo Municipal que, como o próprio nome já diz, existem para executar tarefas determinadas em outra instância de poder. Portanto, exercemos as competências que nos são estabelecidas pela legislação municipal: prestamos serviços à população como tapa-buracos, limpeza de bueiros, retirada de carros abandonados em vias públicas e dezenas de outras atividades. Para realizar as tarefas que nos são designadas também seguimos normas pré-estabelecidas. As leis não são aleatórias, elas levam em conta prévias discussões, estudos, pesquisas, o passado da Cidade, e depois são votadas através do Poder Legislativo.

A burocracia existente no caso citado é para preservar os munícipes, pois não podemos retirar os carros sem saber a sua origem. Isso poderia ocasionar erros graves como, por exemplo, o recolhimento de carros roubados das ruas, prejudicando o serviço da polícia. Além disso, não são abandonados nas ruas apenas carros roubados ou carcaças. A questão não é tão simples assim, e poderia elencar uma série de outros problemas que podem ocorrer caso não fossem seguidos os trâmites estipulados. Para o leitor ter uma ideia, no assunto em questão, foi criado o POP (Procedimento Operacional Padrão), para evitar que os passos não sejam cumpridos e que cada subprefeitura realize o trabalho a seu bel prazer.

Em relação aos gastos, a Subprefeitura possui controle detalhado dos mesmos, que pode ser acompanhado a qualquer momento pelos cidadãos. Para isso basta acessar o site da Subprefeitura Mooca, através do link: Execução Orçamentária.

Sobre o Diário Oficial da Cidade é realmente uma pena que as pessoas não tenham o hábito de ler, apesar de estar disponível gratuitamente pelo portal da prefeitura, nas bibliotecas públicas e nas subprefeituras. O jornal é uma maneira de acompanhar o que está acontecendo pela Cidade, conhecer as obras que estão sendo feitas e controlar os gastos do poder público. Enfim, é um importante instrumento de fiscalização e informação que poderia ser mais bem utilizado pela população. Colocamo-nos à disposição para qualquer esclarecimento pertinente às atribuições da Subprefeitura Mooca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *