Ex-moradora do Tatuapé ganha título de Primeira Bailarina Estrela na Companhia Ballet de Santiago, no Chile

Exemplo de motivação e sucesso, a bailarina Andreza Randisek de 37 anos, que já morou na região do Tatuapé, foi eleita a 1ª bailarina do Ballet de Santiago do Chile em 2004. Já em junho deste ano ela também ganhou o título de A Primeira Bailarina Estrela.

Sua carreira começou na infância, quando passou por escolas de dança como a Especial Academia de Ballet Aracy de Almeida e a Escola Municipal de Bailados de São Paulo. Em 1993 ela ganhou destaque após conquistar o 11° Festival de Dança de Joinville, maior festival do mundo em número de participantes. Esse prêmio lhe rendeu em 1993 o reconhecimento na Calçada da Fama da cidade, local que eterniza os melhores bailarinos e grupos premiados nas 31 edições do evento. No mesmo ano, Andreza também foi considerada Bailarina Revelação.

Em uma breve passagem pelo Brasil, Andreza reservou um tempinho em sua agitada agenda para contar suas experiências em um bate-papo com a equipe do jornal O Retrato. Confira!

O RETRATO – Desde quando você dança ballet?
ANDREZA RANDISEK - Comecei a dançar aos seis anos na Especial Academia de Ballet Aracy de Almeida e aos sete na Escola Municipal de Bailados de São Paulo. Tudo começou muito cedo quando minha mãe me colocou no ballet, como muitas famílias fazem com suas filhas, e desde então já mostrava meu gosto pela dança. Com o passar do tempo, isso só veio a confirmar o meu amor imenso por essa arte. Participei de vários festivais no Brasil, ganhando sempre primeiros lugares, inclusive no 11° Festival de Dança de Joinville, sendo que hoje tenho o privilégio de ter meu nome na Calçada da Fama da cidade, como uma homenagem criada por este festival aos seus vencedores.

OR – Sua família a incentivou desde o início?
ANDREZA - Sempre tive o privilégio e o presente maravilhoso de ter o incentivo incondicional de minha família. Durante toda minha carreira e, até hoje, me apoiam, aconselham e me acompanham. A eles e a Deus, pelo talento que me deu, sou e serei eternamente agradecida. Em 1997 fui convidada a integrar a Companhia Ballet de Santiago, na época dirigida por Ivan Nagy, onde estou até hoje. Fiz uma linda carreira, começando como corpo de baile composto por 50 bailarinos e com muito esforço, disciplina e dedicação fui escalando e conquistando novos cargos de solista e primeira bailarina. Hoje sou a Primeira Bailarina Estrela, título que é dado, raras vezes, nas melhores e mais importantes companhias clássicas do mundo. O mais especial é que fui nomeada e condecorada por minha atual diretora, Marcia Haydée, que me enche de orgulho e muita emoção.

OR – Como é a sua vida no Chile?
ANDREZA - Muito boa, por ser um lugar tranquilo, com menos violência, mais organização e qualidade de vida. Já estou lá há 17 anos, e como tudo tem seu lado bom e ruim, a parte desagradável é o clima frio. Além disso, sinto saudades do calor e da simpatia do povo brasileiro, que não existem em nenhum outro lugar do mundo. Minha rotina é intensa, acordo cedo e começo o meu dia às 10h da manhã com uma aula diária de uma hora e meia. Depois ensaio de segunda a sexta-feira até as 18h, sem contar os espetáculos de fins de semana e feriados.

OR – Quando vem ao Brasil, o que gosta de fazer na região?
ANDREZA - Tive alguns dias livres, são praticamente férias, e aproveitei a ocasião para vir ao meu País para ficar em casa, ver os meus pais, minha irmã e toda minha família. Quando estou aqui adoro ir comer pizza, pois não há igual como a pizza de São Paulo; dar uma volta no shopping e principalmente fazer pilates com a minha irmã, que possui um estúdio aqui no Tatuapé. Enfim, gosto de fazer coisas básicas, temos tudo o que precisamos aqui na região.

OR – Você faz algum tipo de preparo físico ou alimentar para aguentar a sua rotina?
ANDREZA - Um bailarino é além de artista, um esportista de alto rendimento, o que significa precisar de muitos cuidados físicos e emocionais. É importante ter uma vida saudável, alimentar-se adequadamente, dormir bem e evitar excessos. Também complemento minhas atividades físicas com o pilates, que na minha opinião é fundamental para os bailarinos.

OR – Para finalizar, o que você aconselha para as meninas que pretendem ser bailarinas?
ANDREZA - Nunca desistam de seus sonhos e dancem sempre com o coração.

 ——————————————————————————————————————————————————————-

São Paulo recebe apresentação especial do 31° Festival de Dança de Joinville

Com o objetivo de oferecer reconhecimento e visibilidade aos bailarinos, no dia 04, domingo, às 19h, o Auditório do Parque do Ibirapuera recebe pela primeira vez uma reapresentação especial da Noite dos Campeões, com algumas coreografias selecionadas pela curadoria da 31ª edição do Festival de Dança de Joinville, que aconteceu de 17 a 27 de julho.

A Noite dos Campeões, já apresentada em Joinville, reunirá em São Paulo apenas os primeiros lugares dos três melhores colocados na Mostra Competitiva – nos gêneros clássico, clássico de repertório, contemporâneo, jazz, sapateado, danças populares e danças urbanas -, escolhidos ao longo do evento.

 ——————————————————————————————————————————————————————-

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  face