Especialista dá dicas de como declarar o Imposto de Renda

RAGAZZI ADVOCACIA E CONSULTORIA

A entrega da Declaração de Imposto de Renda que teve início no mês de março segue até o dia 30 de abril. Como se trata de uma obrigação do contribuinte, não há como escapar. Então, o jeito é tentar da melhor forma possível atender à legislação e precaver-se antecipadamente contra erros e atropelos de última hora.

Nesta edição, o consultor Mauri Antonio Alves, da Ragazzi Advocacia, dá algumas dicas para evitar problemas com o “Leão”:
· Separar todos os documentos e informações (como saldos de conta corrente, poupança, fundos, previdência, comprovantes de renda) e recibos, além da relação de bens adquiridos e vendidos no ano.
· A preparação da declaração do Imposto de Renda é uma tarefa que exige tempo e concentração. Lembre-se que qualquer erro ou inconsistência pode fazer sua declaração ficar retida na malha fina.
· Aja com antecedência. Tire suas dúvidas antes, baixe o programa, escolha o formulário que permita uma maior dedução (declaração completa ou simplificada), arquive todos os documentos em uma só pasta.
· Se tiver restituição, cadastre uma conta que você utiliza com frequência. Mas cuidado para não se esquecer, fechando esta conta no decorrer do ano – isto dificultará o recebimento do seu crédito.
· Pegue sua declaração de bens do ano anterior e veja se ocorreram alterações tais como pagamentos, compra ou venda de bens, alterando sua situação patrimonial.
· Lembre-se de que, nos recebimentos de salários, o imposto é recolhido direto na fonte, e este montante – se não for tributado de forma exclusiva (como no caso do 13º salário, rendimento de aplicações financeiras), pode ser descontado na hora de calcular seu imposto a pagar ou permitir uma maior restituição.
· Se sua intenção for declarar pelo formulário completo e deduzir despesas médicas e com educação, ou até mesmo dependentes, além dos extratos de rendimentos, você precisa arquivar todos os recibos de despesas.
· A opção pela apresentação da Declaração Simplificada implica a substituição das deduções previstas na legislação tributária – portanto, não caia no comodismo de pensar que a mesma é melhor opção para você, só porque é mais fácil de preencher!
· Em alguns casos estas despesas estão limitadas a um teto máximo, como é o caso dos gastos com educação. Mas nas despesas médicas não há limite, e você precisa ter todos os comprovantes de pagamento em mãos (sejam recibos ou cópias dos cheques nominais) para saber o quanto efetivamente gastou.

Dúvidas em direito e legislação devem ser encaminhadas para contato@ragazzi.adv.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *