Emplacamentos de veículos caem em agosto, mas há previsão de aumento no último trimestre

De acordo com o levantamento realizado pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), entidade que representa mais de 7.700 concessionários de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, como carretinhas para transporte), o total de emplacamentos no mês de agosto foi 7,43% menor que o registrado em julho. Ao todo, foram comercializadas 404.217 unidades em agosto de 2014, contra 436.674 em julho deste ano. Em relação ao mesmo período do ano passado (481.524 unidades), a queda foi de 16,05% e, no acumulado, a retração chegou a 8,62% para todos os segmentos somados. Foram emplacadas, de janeiro a agosto deste ano, 3.333.104 unidades, contra 3.647.456 no mesmo período do ano passado.

Os segmentos de automóveis e comerciais leves também apresentaram queda de 7,38% nos emplacamentos. Foram emplacadas 259.152 unidades em agosto, contra 279.805 em julho. Se comparado com agosto do ano passado (312.688 unidades), o resultado aponta para queda de 17,12%. No acumulado do ano, esses segmentos caíram 9,51%. Foram comercializadas 2.121.543 unidades nos primeiros oito meses de 2014, contra 2.344.386 no mesmo período de 2013.

Segundo a Fenabrave, os resultados de agosto contrariam as expectativas iniciais da entidade, que previa retomada no crescimento do setor a partir de agosto, chegando a um aumento de 5% no segundo semestre em relação ao primeiro de 2014. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo e Diretor da entidade, Flavio Meneghetti, a revisão do PIB, para 0,5%, o cenário político ainda indefinido, a alta volatilidade da economia, com diversos indicadores negativos, e o alto comprometimento da renda familiar contribuíram para que o consumidor pensasse mais antes de fechar negócio.

Porém, o presidente da instituição acredita que alguns fatores poderão melhorar o desempenho do setor no último trimestre de 2014: Além dos lançamentos previstos em outubro, com o Salão Internacional do Automóvel, a queda nas taxas de juros e a antecipação de compras em função da retomada dos índices do IPI em janeiro de 2015, favorecerão o consumo de automóveis e comerciais leves em novembro e dezembro.

SERVIÇO:
Fenabrave
www.fenabrave.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *