Durante as compras de Natal, 59% dos consumidores pretendem gastar o mesmo valor ou mais do que no ano passado

A época das festas natalinas se aproxima e traz um consumidor otimista, disposto a comprar mais, porém, para tanto, deverá pesquisar os melhores preços. Essa é uma das constatações da pesquisa Natal 2013 – Revelações sobre os hábitos dos consumidores brasileiros, realizada pelo quarto ano consecutivo pela Deloitte Consultoria.

A principal conclusão do levantamento deste ano aponta para o fato de que o brasileiro está passando por uma mudança em seus hábitos de consumo e em seu planejamento financeiro. Prova disso é que a parcela de consumidores que planejam economizar seu 13º salário subiu neste ano 50% em relação ao que foi registrado na pesquisa de 2012, atingindo agora o correspondente a 36% do total dos entrevistados. Outros 35% planejam quitar dívidas com esse recurso extra. Essa predisposição não implicará, no entanto, em redução de volume de compras e gastos natalinos, já que 59% dos consumidores pretendem gastar mais ou o mesmo do que gastou em 2012.

Esses resultados indicam sinais de amadurecimento e maior consciência da utilização do crédito bancário por parte do consumidor brasileiro, que administra melhor suas dívidas e poupa parte de seus rendimentos para gastos futuros”, afirma o sócio-líder da Deloitte para o atendimento às empresas do setor varejista e responsável técnico pela pesquisa, Reynaldo Saad. “Até alguns anos atrás, devido à memória inflacionária, o brasileiro ficava muito incomodado com dívidas a médio e longo prazos. Agora, não mais”, explica Saad.

Hábitos de consumo
Neste Natal, o brasileiro pretende pesquisar mais antes de comprar, conforme indicam 54% dos respondentes, o que revela, novamente, uma decisão mais consciente. Em média, os entrevistados apontam que deverão gastar R$ 61,85 por presente, 11% a mais do que no ano passado. Vale lembrar ainda que, na pesquisa realizada em 2012, o ticket médio pretendido por presente era de R$ 55,60, mas o gasto efetivo acabou sendo de R$ 57,59. “Isso não é falta de planejamento. É o perfil otimista do brasileiro, principalmente em épocas festivas. Ele estabelece um patamar de consumo inferior ao que efetivamente desembolsará, e, no momento da compra, pelo impulso emocional, acaba despendendo mais dinheiro”, analisa Saad.

Pela primeira vez em quatro anos de pesquisas da Deloitte sobre expectativas de consumo para o período de Natal, o cartão de crédito em “única parcela” e o “parcelado” foram apontados como principais meios de pagamento a serem utilizados pelos consumidores (somam 74% os que indicaram essas alternativas). Aparecem na sequência, como meios de pagamento mais utilizados, o dinheiro, com 69%, e o cartão de débito, com 49%. “O resultado comprova novamente que o brasileiro, apesar de quitar suas dívidas, está pronto para contrair novas, sendo o cartão de crédito uma maneira fácil e menos burocrática para postergar e/ou parcelar suas compras, já que o crédito está pré-aprovado”, complementa Saad.

Em relação aos presentes, os mais desejados neste Natal são os aparelhos eletrônicos portáteis (45%), porém, quando se trata de presentes que serão comprados, eles aparecem na sexta colocação. Os destaques para os mais comprados são as roupas (80%), sapatos e cosméticos (ambos com 46%). Em relação à data para realização das compras, como vem ocorrendo nos anos anteriores, o início de dezembro aparece como o período mais indicado, segundo 46% dos respondentes.

SERVIÇO:
Deloitte
www.deloitte.com/br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *