Confira as principais propostas dos candidatos a prefeito dentro do tema Educação

Ana Luiza (PSTU)

  • Defende que nenhuma criança fique fora da creche. Para isso, defende parar de pagar a dívida do município com a União (pouco mais de R$ 4 bilhões em 2012) e usar os recursos para construir 2.000 creches, desapropriando todos os terrenos necessários para construí-las, e continuar utilizando esses recursos para o desenvolvimento e manutenção do ensino.
  • Contratação de mais professores para acabar com a superlotação, e a incorporação dos abonos e reajuste salarial para melhorar o nível salarial dos profissionais em educação.
  • Implementar cotas em todas as universidades e também no serviço público municipal.

Anaí Caproni – (PCO)

  • Acabar com a municipalização do ensino, formação de um sistema único estatal de ensino de primeiro e segundo grau.
  • Salário mínimo vital e móvel para os trabalhadores da educação como piso.
  • Fim do vestibular e o livre ingresso no ensino superior.
  • Universidade pública, gratuita, laica e de qualidade.
  • Gestão das escolas e universidades controlada por estudantes, professores e funcionários que devem decidir sobre o orçamento e sobre todos os aspectos da vida escolar de modo democrático.

Carlos Giannazi (PSOL)

  • Defender a retomada imediata dos 31% da arrecadação de impostos para investimento exclusivo na manutenção e desenvolvimento do ensino, valorizando os professores e profissionais do magistério, reduzindo o número de alunos por sala de aula e articulando um projeto global de desenvolvimento da educação em São Paulo.
  • Duplicar o investimento em creches e educação infantil para suprir o deficit de mais de 175 mil crianças fora da escola, além de ampliar o serviço para atender as famílias nos bairros onde moram e com serviço noturno.

Celso Russomanno – (PRB)

  • Implantar a Universidade Livre da Terceira Idade.
  • Implantar o Programa Administração Inteligente para racionalizar a distribuição de uniformes escolares e didáticos e programa de distribuição de leite.
  • Ampliar a rede de escolas capacitadas para atender pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida.
  • Intensificar programa para alfabetização de adultos.
  • Valorizar o profissional de educação, oferecendo qualificação, plano de carreiras e melhores condições de trabalho.
  • Informatizar todo o sistema de educação municipal.
  • Revisar o regime de progressão continuada e a promoção automática.
  • Construir e ampliar o número de creches, com a construção de mais um andar nos prédios atuais.
  • Aumentar o numero de vagas nas creches diretas e indiretas.
  • Aumentar o tempo de permanência da criança na escola, com implantação gradativa do período integral.
  • Qualificar o padrão de atuação dos CEUs, ampliando sua ação cultural e esportiva junto às comunidades.
  • Ampliar a oferta de vagas e fazer 30 CEUs.

Eymael (PSDC)

  • Promete construir a Universidade Municipal Paulistana, para assegurar a todos a oportunidade de possuir uma nova e valiosa oportunidade de formação educacional universitária.
  • Propõe a criação de um polo universitário, com uma nova frente de trabalho para profissionais de todos os setores e em especial para os educadores de alta formação intelectual.
  • Criar um centro de conhecimento e cultura que possa ser referência para o país e para o mundo.
  • Promete um campus universitário com toda estrutura para abrigar o estudante em alojamentos adequados.
  • Criar uma estrutura poliesportiva que proporcione a atividade esportiva intensiva aos universitários, com foco na superação de limites.
  • Defende o respeito aos pilares da ONU para a educação: a garantia que o ensino básico tenha as funções de capacitar o aluno para aprender a conhecer, para aprender a fazer, para aprender a ser e aprender a conviver, tal como definido nos pilares da ONU para a educação.
  • Defende uma política educacional específica com foco na educação inclusiva, acolhendo todas as crianças e jovens portadores de necessidades especiais: mentais, motoras, auditivas e visuais.
  • Propõe uma sociedade do conhecimento, com acesso e uso em todas as escolas da tecnologia da informação e a preparação das crianças e jovens para serem cidadãos do mundo.
  • Defende a concessão de bolsa de estudos para garantir o acesso de todos à educação, também através de Sistema Municipal de Bolsa de Estudos, como previsto pela Constituição Federal, através da conquista da democracia cristã.
  • Propõe a amplificação da oferta de cursos técnicos e profissionalizantes nas escolas municipais.
  • Diz que criará polos de ensino à distância, com estruturas para moradores de bairros distantes e regiões da cidade com dificuldades de transporte e segurança.
  • Promete valorizar as atividades físicas e o esporte na escola, integrando as políticas públicas do setor, como uma forma de desenvolvimento saudável do aluno e encaminhamento de talentos para atividades de alto rendimento.

Fernando Haddad – (PT)

  • Acabar com a fila de espera na pré-escola e ampliar o atendimento em crechesm Construindo mais unidades com ajuda do governo federal e oferecer 150 mil vagas.
  • Desenvolver programas visando a implantação da educação integral na rede municipal.
  • Construir mais 20 CEUs.
  • Implantar polo de formação superior dos profissionais da educação nas subprefeituras.
  • Expandir o atendimento em educação infantil e universalização do atendimento às crianças de 4 a 5 anos, em parceria com o governo federal.

Gabriel Chalita (PMDB)

  • Universalizar o atendimento de creches em período integral, por meio de construção de 1.200 creches e realização de convênios com universidades, colégios e entidades para zerar o deficit de pelo menos 150 mil vagas para crianças de zero a três anos.
  • Ampliar o período de atendimento dos alunos matriculados na pré-escola em seis horas diárias até 2014.
  • Pleitear recursos junto ao governo federal por intermédio do Pró-Infância e do Programa Creche Escola, vinculado ao governo estadual, para a construção de creches e pré-escolas e ampliação de infraestrutura das mesmas.
  • Oferecer, gradativamente, educação em período integral em 50% das escolas de Ensino Fundamental até 2014, abrangendo a totalidade da rede municipal até 2016.
  • Promover a ampliação da jornada escolar a partir das ações do Programa Mais Educação, previsto no Plano de Desenvolvimento da Educação.
  • Erradicar os turnos intermediários da educação, tanto na pré-escola quanto no ensino fundamental.
  • Aprimorar o Programa Contraturno Escolar, estimulando convênios entre escolas de ensino fundamental e entidades sem fins lucrativos no oferecimento de atividades culturais, esportivas e recreativas para crianças entre 6 e 14 anos.
  • Estimular a contratação de profissionais para atender a demanda crescente de educação em período integral utilizando as verbas do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental).
  • Utilizar a verba QESE (Quotas Estaduais do Salário-Educação) para garantir melhor qualificação de profissionais e a manutenção de crianças no ensino fundamental durante o período integral.
  • Desenvolver um mapeamento sistemático do potencial de escolas com possibilidade de abrigar alunos em períodos contrários ao oferecimento das aulas.
  • Estimular convênios com entidades públicas e organizações sem fins lucrativos nas esferas municipal, estadual e federal na oferta de atividades culturais, esportivas e recreativas, estando de acordo com as demandas nas quais as escolas estão inseridas.

José Serra (PSDB)

  • Promete implantar creches nas proximidades das estações de Metrô e CPTM, em parceria com o governo do Estado. O plano propõe, entre outras soluções, o uso de áreas ociosas do Metrô, em torno das suas estações, para construir novas unidades.
  • Criar o sistema municipal de ensino técnico e profissional, para que, em parceria com o governo do Estado, a cidade tenha mais 32 mil alunos nesse tipo de escola.
  • Fortalecer o programa de recuperação paralela para os alunos com mais dificuldades e o programa Ler e Escrever, que propõe colocar dois professores por sala de aula no primeiro ano do ensino fundamental.
  • Ampliar o tempo na escola de 5 para 7 horas.
  • Criar um centro de formação de professores específico da prefeitura para aprimorar o desenvolvimento profissional do professor, com cursos de aperfeiçoamento, atualização e especialização para os quadros de magistério.
  • Criar uma campanha contra o bullying na rede pública, com orientação, material didático, aulas e preparação apropriada dos professores para lidar com a situação.
  • Ensino técnico e de idiomas em todos os CEUs.

Levy Fidelix (PRTB)

  • Promete pagar condignamente a professores e especialistas, que considera fator essencial para se alcançar a qualidade de ensino preconizada pela Constituição.
  • Atribuir recursos generosos à educação de jovens e adultos, a fim de erradicar o analfabetismo até em 2015.
  • Utilizar na educação, inclusive à distância, os modernos recursos da tecnologia, como rádio, televisão, computador e satélite.
  • Propõe dar prioridade à educação pré-escolar, com um amplo programa de assistência pedagógica e médico-odontológica.
  • Reduzir os índices de evasão e repetência no ensino fundamental, criando novos estímulos para a permanência das crianças nas escolas, e acabar com o absenteísmo, que leva 4 milhões de crianças na faixa dos 7 aos 14 anos de idade a não frequentar escolas.
  • Aproximar o ensino médio do mundo do trabalho, abrindo chances de estágio nas empresas brasileiras, adotando-se o moderno conceito de politecnia, com as sondagens das aptidões feitas pelos orientadores educacionais em relação ao aluno e encaminhando-o ao mercado de trabalho.
  • Garantir o ensino gratuito a todos os estudantes que demonstrem falta ou insuficiência de recursos, inclusive distribuindo bolsas para estimular a sua formação.
  • Fazer da educação uma prioridade efetiva na atribuição de recursos financeiros, indo além dos limites estabelecidos pela Constituição de 1988, como atestado de uma decisão política de apoio efetivo.
  • Reciclagem e atualização permanente dos professores em todos os níveis de ensino em didática e prática de ensino.
  • Retornar com a cartilha “Caminho Suave” no ensino fundamental 1º ciclo. Restabelecer o objetivo do ensino fundamental: ler, escrever e contar.
  • Retornar com as merendeiras nas escolas municipais, evitando problemas de superfaturamento e ilegalidade nas licitações com empresas de alimentos.

Miguel (PPL)

  • Promete implantar o projeto Reeduca São Paulo, voltado para os alunos dos ensinos fundamental e médio e que propõe o fim da aprovação automática, o máximo de 30 alunos para cada professor, dedicação de um terço da carga horária do professor para preparação das aulas e foco no aprendizado do aluno através da prática diária da teoria em escolas equipadas com laboratórios, quadras esportivas e material didático de qualidade.
  • Criar cursinho gratuito preparatório para vestibulares em 50 CEUs da cidade, com capacidade para 100 mil estudantes de escolas públicas. * Para o ensino superior, criar a UniSampa (Universidade Municipal de São Paulo) ofertando 10 mil vagas; criar o Prouni Municipal para ofertar mais 100 mil bolsas nas melhores universidades privadas.
  • Para o educação infantil, construir 200 unidades do jardim de infância para atender à demanda de 150 mil crianças de 0 a 6 anos.

Paulinho da Força (PDT)

  • Propõe melhorar a remuneração e a capacitação dos professores municipais.
  • Valorizar o plano de carreira dos professores do ensino municipal.
  • Garantir os recursos necessários no orçamento municipal para a superação do deficit educacional no município de São Paulo.
  • Estabelecer um projeto pedagógico municipal e garantir a qualidade o ensino.
  • Integrar as famílias dos alunos à escola, incentivando-as a participar de atividades comunitárias, culturais e esportivas.
  • Acabar com a progressão continuada.

Soninha (PPS)

  • Defende que, quando uma mãe não encontrar vaga em creche da prefeitura, a prefeitura pague a mensalidade em creche particular ou treine, remunere e supervisione uma cuidadora.
  • Promete realizar um grande mutirão, em parceria com os governos estadual e federal, entidades não governamentais, movimentos sociais e empresas, para crianças e jovens que estão na escola mas não conseguem ler e escrever.
  • Diz que vai garantir instalações adequadas em todas as escolas; formação, remuneração, condições de trabalho e estímulos aos funcionários da educação; participação da sociedade fortalecendo os Conselhos de Escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *