Com aproximadamente 300 pessoas a bordo, avião da Malásia cai na Ucrânia

BRUNO LEITÃO

Um avião da Malaysia Airlines, com 295 pessoas a bordo, que saiu de Amsterdã com destino a Kuala Lumpur, caiu ao Leste da Ucrânia no dia 17 de julho. Até o fechamento desta edição, vários conflitos de informações rondavam o caso.

De acordo com o portal O Globo, o Ministério do Interior ucraniano afirmou que o voo foi, provavelmente, abatido por um míssil Buk terra-ar e não há sobreviventes. O Boeing 777 saiu da Holanda às 12h14m (horário local) com 295 pessoas a bordo, 280 passageiros e 15 tripulantes. Entre as vítimas, estavam 154 holandeses, 27 australianos e 23 malaios, segundo a Malaysia Airlines. Outras fontes indicam ainda a presença de 23 americanos, nove britânicos e quatro franceses, incluindo 80 crianças.

Próximo do local do acidente, um repórter da agência de notícias Reuters contou que dezenas de corpos estavam espalhados em torno dos destroços da aeronave, e um socorrista afirmou ter visto pelo menos cem corpos. O número de passageiros e possíveis vítimas ainda é confuso, mas deve ser confirmado logo.

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, determinou a criação de uma comissão para investigar o caso e descartou um acidente. Em sua conta no Twitter, Sviatoslav Tsegolko, porta-voz do presidente ucraniano, disse que “isso não é acidente, nem uma catástrofe, é sim um ato terrorista”.

Tanto a Rússia, quanto os separatistas do Leste da Ucrânia, além de Kiev, negaram qualquer tipo de envolvimento com o acidente envolvendo a aeronave. O governo ucraniano, no entanto, relembra os fatos ocorridos nos últimos dias para se apoiar na teoria de um ataque ao avião, onde outras aeronaves militares do país foram derrubadas em território russo.

Ainda conforme informações do portal, o governo americano, através de um sistema de radar, teria detectado um míssil terra-ar seguindo o avião pouco antes de ele cair, sendo que um outro sistema americano captou sinais de calor junto da aeronave.

Valentyn Nalivaychenko, chefe de segurança do Estado da Ucrânia, acusou oficiais russos de envolvimento no acidente, baseando a acusação em interceptações de conversas telefônicas. O país vai apresentar provas do envolvimento da Rússia na queda do Boeing.

Segundo militares ucranianos, o avião da Malaysia Airlines caiu perto da cidade Shajtarsk, na região de Donetsk, a 60 quilômetros da fronteira russa. A área é controlada por separatistas pró-Rússia, que estão lutando contra o exército ucraniano. O acidente ocorre apenas meses depois do voo MH370 da Malaysia Airlines desaparecer em 8 de março.

Fonte:
O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  face