Cinco dicas para cuidar do pet no verão

É importante saber que nos dias mais quentes típicos desta época do ano, os bichinhos de estimação devem estar sempre hidratados, protegidos da radiação, de queimaduras, de pulgas e de carrapatos. Veja algumas dicas:

Hidratação
Troque com frequência a água da vasilha, para que esteja sempre fresca e disponível. Como não possuem glândulas sudoríparas, cães e gatos costumam desidratar mais facilmente que os humanos. A cena do bichinho deitado, com barriga no piso frio, explica o fato.

Com apenas 10% de perda de fluidos corporais, eles já podem desidratar. Os sintomas são perda de elasticidade da pele, letargia, perda de apetite, olhos fundos, além de focinho, boca e gengiva secas. Atenção especial para os gatos, principalmente, que não ingerem tanta água e por causa disso podem desenvolver problemas renais.

Em passeios ou viagens mais longas, não se esqueça de oferecer água e comida ao animal. As caixas de transporte costumam esquentar também, se ele for permanecer tempo confinado, faça paradas para o animal andar e se refrescar.

A mídia sempre traz casos dramáticos de pais que esquecem os bebês no carro em época de temperaturas mais altas. Os cães e os gatos não devem ficar no carro à espera do tutor. Eles podem desidratar facilmente nessas situações.

Queimaduras
O chão quente pode queimar as patinhas dos animais nos passeios, por isso o ideal é levá-los para caminhar em horários alternativos: antes das 10h e depois das 16h, quando a calçada já não está tão quente e o sol mais fraco.

As queimaduras podem acontecer na “almofadinha das patas”, conhecida como coxim. De acordo com a veterinária Karina Mussolino, da Pet Center Marginal, são ferimentos complicados para tratar. Em geral, aparecem em formatos de bolhas, rachaduras, feridas e causam dor e desconforto. Por ser uma região sensível e de atrito, a cicatrização é complicada e com tendência a infecções.

“Animais que ficam expostos por muito tempo ao sol podem desenvolver câncer de pele. Um dos sintomas iniciais é uma vermelhidão na pele (dermatites solares). As regiões mais afetadas pela radiação solar constituem o focinho e as extremidades das orelhas. Animais mais claros são as principais vítimas, coma as raças Whippet, Staffordshire Terrier Americano, Boxer branco, entre outros”, informa.

Converse com o veterinário, que poderá indicar um protetor solar específico para pets. Não use os produtos feitos para humanos, pois eles podem gerar graves alergias. Se o seu gato é mais branquinho, o aconselhado é pedir orientações do veterinário responsável. Gatos gostam de ficar expostos ao sol e também correm riscos em relação aos tumores de pele.

Prática de esportes
Assim como nós, os pets não se transformam em atletas de uma hora para outra. Antes de levá-los para correr, o tutor deve fazer um check-up completo no animal. Cães, principalmente os mais velhos, podem ter doenças cardíacas, um dos sinais da doença é a tosse seca e a falta de ar após simples esforço. Nesses casos, exercícios mais puxados podem matá-lo com um infarto. Já os cães obesos não podem correr com seus tutores sem avaliação médica. Isso porque assim eles correm o risco de sobrecarregar ligamentos e colunas, desenvolvendo problemas ortopédicos.

Nem todos os animais sabem nadar, por isso é importante olhares atentos do dono, quando levar seus bichinhos a lugares com piscina. Caso gostem de nadar, como é o caso do Labrador e do Golden Retriever, o cuidado com os ouvidos se faz necessário. Como o canal auditivo fica abafado e molhado, os cães podem desenvolver otites. Além de dolorosas, se não tratadas devidamente, elas podem levar à perda de audição.

Sombra e água fresca
Se o animal fica muito tempo sozinho no quintal ou na varanda, fora da casa ou da parte interna do apartamento, certifique-se para que tenha um lugar fresco, onde não bata sol, para que possa se proteger do calor e das chuvas de verão. É importante que tenha a opção de um lugar com sombra, distante dos raios solares para se abrigar.

O aconselhável é que o animal tenha um piso frio, como os azulejos do banheiro e da cozinha, para poder se deitar esparramado, uma forma para se livrar do calor e baixar a temperatura corporal.

Parasitas oportunistas
As temperaturas altas representam ambiente ideal para a proliferação de pulgas e carrapatos. A maioria desses parasitas está no ambiente, não em outros animais, como em cachorródromos, a casa de um amigo, o hall do apartamento e até o pet shop. É importante saber que a hipersensibilidade à picada de insetos é a causa mais comum das alergias em cães.

A pulga, além de provocar os processos alérgicos, transmite verminose para cães e gatos. Nos bichanos, especialmente, transmite o Mycoplasma. Em grandes infestações, as pulgas causam anemia. Já a Erlichiose e a Babesiose, que são popularmente conhecidas como a “doença do carrapato”, causam a destruição de células sanguíneas. Os sintomas são febre, apatia, falta de apetite e até a morte.

SERVIÇO:
Pet Center Marginal
www.petcentermarginal.com.br

One Response to Cinco dicas para cuidar do pet no verão

  1. Fabiano disse:

    Um vira-latas na capa do jornal ganha a simpatia de um potencial leitor e pode fazer a diferença entre levar ou não levar um exemplar.

    Os bichinhos de estimação, ou pets, estão na moda e dão audiência tão na tv paga quanto na aberta e quatro candidatos (os irmão Tripoli, Carlão do Impama e Feliciano Filho) se elegeram ou se reelegeram em 2014 tendo como principal bandeira os animais abandonados.

    Aqui no Tatuapé há uma feira de adoção todo mês, que daria uma bela reportagem e, tenho certeza, agradaria aos leitores de vocês.

    Eu sou um protetor aqui da ZL e desejo fazer contato com alguém do Jornal O Retrato para divulgar nosso importante trabalho, que reduz o número de animais abandonados no bairro e ajuda os moradores que querem um bichinho de estimação a encontrar a companhia ideal.

    Amanhã (28-2-15) haverá a segunda edição do ano desse evento, que, apesar de tradicional, ainda é pouco conhecido. Convido alguém da redação a aparecer no estacionamento do Pão de Açúcar (esquina da Serra de Bragança x Serra de Japí) e verificar pessoalmente se vale ou não a pena publicar uma pequena reportagem sobre os cães e gatos que precisam tanto dessa divulgação.

    Tenho certeza que agradará não apenas os leitores, como também aos anunciantes, imagine quantos pet-shops e veterinários do bairro não gostariam de ter sua marca associada a uma reportagem como essa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  face