Boca no Trombone – Edição 292

Por PAMELA SCHUMAHER

Já que a PM não toma conta, os bandidos tomaram:

Estou simplesmente falando do percurso da rua Tuiuti até a Praça Silvio Romero, localizada no Tatuapé, por onde passo todos os dias em torno das 23h, e, quando não estou me esquivando de assaltos, estou presenciando o fato.

O pior de tudo é não poder fazer nada para socorrer a vítima, que na maioria das vezes se tratam de idosos, mulheres ou jovens sozinhos que estão voltando da escola.

Acho que a Lei do Desarmamento caiu como um prêmio para os marginais, pois estando suas vítimas totalmente desprotegidas, o êxito em suas ações é certo.

Outra coisa que irrita o cidadão é que quando chegamos até a guarita instalada na Praça Silvio Romero, relatamos o fato e o policial nos pergunta: “O que levaram do senhor”? Relatamos: “Levaram minha mochila, que continha os materiais escolares e alguns documentos”. Aí ele diz: “Então não levaram nada de valor, não é”?

Muitas vezes estes objetos e documentos são muito mais valiosos para a pessoa do que joias ou dinheiro, porque todo mundo sabe a dificuldade em se tirar a segunda via dos documentos e ainda perder suas lições ou anotações em seu material escolar.

Enfim, o que peço é a ação da polícia “Urgentemente”, principalmente nestes horários nos quais os marginais ficam de tocaia para atacar. E tem mais, policiais em guaritas só servem para ficar dando informações, prefiro eles circulando!

João Pedro Donizetti Biscaro – Tatuapé

Resposta do 8º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano:

Primeiramente gostaríamos de agradecer ao reclamante por ter trazido ao nosso conhecimento informações úteis para o direcionamento do policiamento ostensivo no bairro do Tatuapé, portanto, colaborando para uma atuação mais eficiente do organismo policial para melhor atender à comunidade.

Ao tomar conhecimento da denúncia, o Comando do Oitavo Batalhão determinou providências imediatas no sentido de identificar o local e averiguar as informações. É importante esclarecer que o registro do fato, através do Boletim de Ocorrência, é de suma importância para que a Polícia Militar possa atuar em casos como esses. Por meio do Boletim de Ocorrência executamos a análise criminal, no qual são coletados mais detalhes dos indicadores criminais que ocorrem no logradouro mencionado e em suas adjacências, os quais são necessários para subsidiar o planejamento e execução do policiamento preventivo, o que é realizado, mas que passa a ser priorizado através dos Programas de Policiamento de Força Tática e de ROCAM e Ações de Operações Policiais.

Aproveitamos a oportunidade para informar que o reclamante pode e deve acionar, sempre que necessário, a Polícia Militar pelo 190, cujo objetivo é o atendimento de emergência e a intensificação do patrulhamento, pois a Polícia Militar está diuturnamente nas ruas e pronta para agir, atenta a qualquer movimentação que queira quebrar a ordem ou transgredir a Lei.

Quanto à Base Comunitária de Segurança do Tatuapé existente na Praça Silvio Romero, cumpre esclarecer que não se trata de uma “guarita”, mas um posto de atendimento policial, que supre as necessidades e demandas policiais daquela área, atuando preventivamente na preservação da ordem e, quando necessário, na repressão imediata, além de auxiliar o público em geral nas mais variadas solicitações, cumprindo seu papel de Polícia Comunitária.

Estamos imbuídos da responsabilidade de combater toda e qualquer forma de criminalidade, levando à comunidade a sensação de segurança tão almejada. Esperamos continuar contando com a colaboração de toda a sociedade paulista, no tocante à Segurança Pública, pois esta é dever do Estado, mas responsabilidade de todos.

Assim sendo, a Polícia Militar agradece a participação do reclamante.

Conte sempre e acredite na Polícia Militar.

Edward Gusmão de Mello e Silva, Cap. PM Ch. Seç. Ass. Civis 8ºBPM/M

Você opina, reclama ou sugere: redacao@jornaloretrato.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *