A matemática brasileira reconhecida internacionalmente

Na noite do último dia 12 de agosto, o carioca Artur Ávila, de 35 anos, foi agraciado com a Medalha Fields, uma espécie de Prêmio Nobel da Matemática, durante o Congresso Internacional de Matemática, realizado em Seul, na Coreia do Sul.

O pesquisador foi o primeiro representante da América Latina selecionado para receber a condecoração que representou o reconhecimento da comunidade matemática mundial pela excelência do seu trabalho de pesquisa com sistemas dinâmicos. Na cerimônia, também ganharam a medalha o canadense Manjul Bhargava, o austríaco Martin Hairer e a iraniana Maryam Mirzakhani, primeira mulher a receber a honraria. Em 2018, o evento será sediado na cidade do Rio de Janeiro.

Trajetória
Ávila defendeu sua tese de doutorado em 2001, com orientação do pesquisador Welington de Melo, no IMPA (Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada), instituição de pesquisa fundada em 1952, no Rio de Janeiro, que é referência na matemática brasileira. Na época, ele já era um matemático respeitado, que alternava temporadas no IMPA com visitas a diversos institutos de pesquisa na Europa e Estados Unidos. Atuando na área de sistemas caóticos, trabalhava na compreensão de alguns problemas que se arrastavam por quase 30 anos. Com o passar do tempo, foi ampliando seus horizontes e dando novas contribuições fundamentais em diversas subáreas da dinâmica.

Medalha Fields
Criada pelo matemático canadense John Charles Fields no final dos anos 1920, a medalha foi idealizada como um prêmio para jovens, com o objetivo de reconhecer o talento já demonstrado e estimular novas realizações. Com a morte de Fields em 1932, o prêmio ficou conhecido pelo seu nome e foi concedido pela primeira vez em 1936, sendo que na ocasião foram premiados dois matemáticos.

Devido à guerra, os congressos internacionais foram interrompidos e retomados apenas em 1950, quando novamente foram premiados dois matemáticos. Desde então, a cada quatro anos são anunciados os vencedores em um grande congresso, todos com no máximo 40 anos, escolhidos por um comitê de alto nível composto por matemáticos de várias nacionalidades.

Fontes:
Zero Hora e Portal Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *