27 de setembro: Dia Nacional do Doador de Órgãos. Você já pensou sobre o assunto?

No dia 27, sexta-feira, celebra-se o Dia Nacional do Doador de Órgãos e com o objetivo de sensibilizar as pessoas sobre a importância desse gesto tão nobre, até o dia 29, domingo, a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) promove eventos pontuais e de mobilização para incentivar o ato voluntário.

No dia 28, sábado, às 10h, acontece o 1º Ato Inter-Religioso de Gratidão aos Doadores de Órgãos, uma homenagem aos doadores, na Catedral da Sé, localizada na Praça da Sé, s/nº. O evento será aberto ao público. Já no dia 29, domingo, a partir das 8h o Parque da Independência, localizado na avenida Nazaré, s/nº, recebe a 1ª Caminhada Doando Vida. Na ocasião será possível se inscrever para participar do evento gratuitamente.

O assunto está em pauta desde o último dia 16, quando o conde Chiquinho Scarpa comunicou em sua página no Facebook que iria enterrar o seu maior bem: um Bentley no valor de 1,5 milhão, o que causou uma grande repercussão com forte crítica da opinião pública. Porém, no dia do enterro, foi revelado que essa atitude na verdade se tratava de uma campanha de marketing para a abertura da Semana Nacional de Doação de Órgãos, na qual Scarpa participou voluntariamente. A ideia foi mostrar o absurdo que é enterrar um órgão saudável, que poderia salvar a vida de alguém. Apesar de serem mais valiosos do que qualquer riqueza, as pessoas não se chocam com o desperdício de se enterrar órgãos capazes de salvar várias vidas, sendo mais fácil se revoltarem com o enterro de um carro.

Dados no Brasil
Atualmente, cerca de 30 mil pessoas aguardam na fila de espera para receber um órgão e, de cada dez cidadãos abordados, quatro se negam a doar os órgãos de seus familiares. Entretanto, o trabalho realizado pela ABTO, em parceria com o Ministério da Saúde, dos governos estaduais e entidades médicas, vem surtindo efeito nos números de transplantes. Até junho de 2013, o Brasil teve 1.273 doadores de órgãos. Com esta marca, ocupa o segundo lugar do mundo em número de transplantes. Porém, os números de doadores efetivos, por milhão de população, ainda são muito baixos em relação a outros Países. Para se ter ideia, em 2011 o número chegou a 10,7, enquanto a Espanha, o melhor País em doação de órgãos, atingiu 35,3, seguidos por Croácia 35; Bélgica 29,3; Portugal 28,5; e EUA 26. A maior lista de espera é por um rim, 20 mil pessoas. Em segundo lugar, estão os que precisam de transplante de córnea, 6 mil. Em seguida, vem fígado, com 1.300 pessoas na espera, e, por último, coração e pulmão, com 200 e 170 respectivamente.

Como doar
Para se tornar um doador, não é necessário deixar nada por escrito, mas é importante que a pessoa comunique à família sobre esta vontade, pois de acordo com a legislação dos transplantes no Brasil, a doação deverá ser consentida pelo familiar de até 2º grau. Por isso, essa conversa é fundamental para subsidiar a decisão dos parentes na hora de doar os órgãos.

Segundo o Dr. José Osmar Medina Pestana, presidente da ABTO, a recusa dos familiares ainda é um dos motivos para a falta de doadores e está relacionada à falta de manifestação da vontade de doação em vida. “Sempre que o indivíduo se manifesta a favor da doação os familiares autorizam”. De acordo com a Associação, a principal dificuldade para o aumento do número de doadores é, exatamente, o baixo nível de informação sobre o assunto. “Apostamos na adesão da sociedade, com apoio de profissionais de saúde e da mídia, para um dia tornar essa espera por um órgão menos longa e dolorosa”, afirma Medina.

SERVIÇO:
Associação Brasileira de Transplante de Órgãos
www.abto.org.br

Doe sangue
Além da doação de órgãos, outro ato de solidariedade que pode ser realizado em benefício do próximo é a doação de sangue. Segundo dados da Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo, até o fechamento desta edição, no dia 26 de setembro, a situação do banco de sangue era a seguinte: Com exceção dos tipos sanguíneos AB + e AB -, o estado é crítico para os seguintes tipos: O +, O – , A + , A – , B + e B – .

Para doar basta estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 67 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos; pesar no mínimo 50kg; estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas); estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação); apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Já entre os impedimentos temporários estão: resfriado, aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas; gravidez, 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana; amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses); ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação; tatuagem nos últimos 12 meses; situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis, aguardar 12 meses; Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são Estados onde há alta prevalência de malária. Quem esteve nesses Estados deve aguardar 12 meses.

Mais informações podem ser obtidas no link http://www.prosangue.sp.gov.br/artigos/requisitos_basicos_para_doacao

SERVIÇO:
Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo
www.prosangue.sp.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *